Chega de drama

Alguns fatos – bem antigos – me fizeram pensar (recentemente) em quanto as mulheres são hipócritas. É isso ai, hoje a bronca não é para os homens. E, meninas, me desculpem. Para aliviar a raiva que vocês podem vir a sentir, saibam que eu visto (ou pelo menos vesti por muito tempo) a carapuça disso que concluí agora.

Para contextualizar, vou contar dois fatos totalmente diferentes um do outro. O primeiro: um cara estava, pelo menos aparentemente, investindo na menina. A conversa fluía, eles já tinham saído algumas vezes, mas sem muito esforço, sabe? Nada de jantares, convites muito elaborados, só uns beijos mesmo. Mas eles se davam bem, conversavam muito, se entendiam. Até que ele apareceu com outra. Ela não estava apaixonada, não ligou, mas se sentiu incomodada. Depois disso, ele veio atrás dela de novo e, com o álibi de um charme rápido, ela cedeu, voltaram a conversar, sair, e… o fim dessa história? Ela xingando o rapaz, culpando-o por não ser sincero, por tê-la feito sofrer.

Segundo: um almoço, daqueles típicos na minha vida, eu e um monte de homens. O clima tinha mudado naquele dia, o frio inesperado, tão comum na cidade de São Paulo, resolveu aparecer de repente. Em um comentário rotineiro, um deles soltou “preciso agilizar a conchinha do dia, nessas horas, melhor se garantir do que sair de casa sem nada programado”. Eu, como uma mulher que defende seus direitos, critiquei, disse que os homens são todos iguais, mas parei pra pensar e conclui algo que já era pateticamente óbvio.

O cara te liga uma vez por mês, ou aos sábados, ou às terças e quintas e, pior, isso já acontece há séculos! Se ele dá o ar da graça durante a semana, você pensa: “pô, ele gosta de mim, me procura sempre”. Se o caso ocorre aos fins de semana, a desculpa é: “ele prefere sair comigo ao invés de ir para balada”. Se, diferente disso, ele te liga para ir para praia, em fins de semana espaçados, lá vem o argumento: ele gosta da minha companhia, senão não passaria mais de um dia comigo. Se a cena é o frio da conchinha, o discurso é mais ou menos o mesmo, “ele escolheu a mim para um momento tão íntimo. Ele não faria isso com qualquer uma.”

No fundo, com um pouco de esperteza e sagacidade (bem pouca), você sabe que não é nada disso ou até é. Ele realmente gosta da sua companhia, você é inteligente, bonita, mas se isso já vem acontecendo faz  algum tempo, é SÓ isso e ponto final. Não adianta, depois, quando ele aparecer namorando ou simplesmente sumir de vez, você esbravejar e iniciar aquele discurso -que eu mesma já usei em textos por aqui – de que os homens não crescem, são mentirosos e enroladores.

Sim, eles são. Muitos deles. Mas só quem quer ser enrolada cai nessa. Por uma semana, um mês talvez, pode-se enrolar alguém, verdadeiramente. Depois, só acontece com quem está disposta à síndrome do rocambole (desculpem a piada horrorosa, mas ouvi isso e achei genial). E, pensando assim, acho que três coisas podem acontecer com aquela mulher que é visivelmente “deixada em Banho-Maria”:

1- Ela acredita em conto de fadas e realmente é fiel àquela única história da amiga da prima da tia, sabe? Que a fulaninha insistiu, sofreu, correu atrás e se deu bem. Sim, essas histórias existem mesmo (eu conheço UMA) , mas são raras, acreditem.

2- Ela até pode se fazer de vítima, mas, no fundo, também adora a enrolação. Também se sente bem quando o cara aparece, mas não sofre em saber que não foi a escolhida, afinal, ele também não é. E se o caso for realmente esse, aproveite! Não existe nada de errado em você ter aquele rolinho fixo, que pode terminar de uma hora para outra.

3- Ela gosta de dar murro em ponta de faca, não quer abrir mão desses momentos que compartilha com o outro e, mais do que isso, a faca não está tão afiada assim e (ainda) não machuca.

E, cá entre nós. Quando começar a machucar, pare e pense. No próximo convite, mesmo morrendo de vontade de correr para os braços do moço, diga um não redondo e sem brechas para argumentação. Assim, você não precisa colocar a culpa em ninguém e estará pronta para testar o próximo. Aquele que pode querer mais do que uma simples conchinha ou uma conversa cabeça com uma pessoa bacana.

Anúncios

8 comentários sobre “Chega de drama

  1. Gabyiela disse:

    Nao existem certos ou errados. Nao existe pode ou deixa de poder. Amor é um sentimento inexplicavel e basta você viver. Se ele tivesse logica, é mais que logico que nao haveria graca alguma em amar…..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s